O Panetone e a Ferrari


O Panetone e a Ferrari




Natal! Dia 25 está chegando. Quem acredita no significado da data e celebra com dignidade de respeito humano ao próximo, os meus cumprimentos. Quem não acredita e, como ateu ou integrante de denominação religiosa que pouco se importa com a data ou o sentido dela, o meu respeito de ser humano e desejos de que a luz do Natal toque a sua vida. Creio, como todos os cristãos na Pessoa do menino Jesus que veio, nasceu e, se tornou adulto para cumprir a sua missão de Salvador da humanidade. Como filho de Deus foi enviado como homem para viver desde o ventre de Maria à sua missão na humanidade.

Já, a outra luz natural da vida, que chegou aos olhos e a vida de qualquer ser humano no mundo, quando nasceu do ventre da sua mãe, sabe que ela, luz, vem do sol ou de uma hidrelétrica, por exemplo. Ai é fácil crer na luz, teoricamente, porque é material e visível.

Para milhões de pessoas que se dedicaram e deram a vida na “crença” da riqueza de Serra Pelada de antigamente, o menino deus era o ouro. Para médicos mostrados no Programa Fantástico do último domingo, o menino deus era enriquecer usando materiais descartáveis em cirurgias de rim já realizadas, colocando em risco a vida dos pacientes. Em outro bloco do programa, a ambição do menino deus do Natal de um casal e equipe era fabricar em betoneira de construção civil, medicamentos clandestinos e vender enganando o povo pra emagrecer a custa da mentira e da ilegalidade. Outros se corrompem com a merenda escolar, tirando das crianças o direito de se alimentarem. Por que será que para crer no menino Deus divino há decisões racionais e para ser corrupto ou malfeitor a decisão é focada na crença do dinheiro?

 Ferrari o sonho de consumo ou ambição de poucos

A cada ano que passa na história eu sinto na experiência de vida e maior sentimento do significado da fé ou da descrença como o mundo caminha em um vácuo espiritual. Estou lendo um livro da Editora Santuário que ganhei de presente de Natal do amigo José Carlos Felamingo. Tem autógrafo do autor, padre Zezinho. Ele inseriu como título da obra: ”Meu Cristo é mais Cristo do que seu Cristo”. Segundo o autor, o livro nasceu das suas reflexões noturnas. Ficava observando na televisão, lendo e ouvindo pregadores em templos, encontros de multidões em estádios de futebol, programas de canais de TV, rádios, internet. O padre Zezinho com 78 anos de idade na publicação da obra que levou três anos para ser publicada, afirma que aqueles pregadores “íntimos de Deus” falam dele com uma estratégia e estranho marketing da fé, prometendo vida eterna, riquezas, curas com hora e data agendada. E chegam a afirmar a frase que inspirou e ganhou o título do livro.

 

Serra Pelada, o deus do ouro


O que eu quero mostrar neste artigo de Natal é que acredito que o melhor jeito de celebrar essa data é entender o amor puro que nasce em cada pessoa quando pratica a misericórdia, o respeito e generosidade humana com humildade e simplicidade como fez a Sagrada Família numa manjedoura. O testemunho de Jesus é o melhor presente que podemos seguir e continuar realizando em nossa passagem aqui nesta vida.

Afinal, ninguém com predicados de ser rico, inteligente, poder e, tudo o mais que queira colocar na sua vida, ficará sem beber água ou se alimentar para se manter vivo. Também, é só pensar que ninguém ficará vivo sem usar seu corpo para necessidades fisiológicas ou simplesmente tomar banho, escovar dentes. Somos tão limitados em não entender o segredo da vida eterna. Minha amiga Patrícia me contou esta semana que viu em São Paulo um carro que custa milhões de reais. Isso mesmo que você leu! Imagine tudo mais que essa pessoa possui. Acredito, porém, que se não houver fé e compartilhamento humano dessa pessoa, a sua luz neste Natal será somente a das árvores iluminadas com a hidroelétrica e o seu deus Ferrari custará a sua felicidade passageira, que lá na prestação de contas na morte, valerá menos que uma gota de água, como diz a passagem bíblica da história do Rico e de Lázaro.

 

Crianças do Cefas são felizes

Em Sorocaba, o Centro Familiar de Solidariedade NS Rainha da Paz- CEFAS ganhou 30 mil panetones do Tauste para serem vendidos em prol das mais de 80 crianças que atende diariamente. Custam apenas R$ 7,50 cada. Os voluntários têm até dia 25 para vender e arrecadar os fundos necessários para a aquisição de uma perua que transportará as crianças e adolescentes. No Natal milhares de pessoas irão tomar a sua cerveja em bares e restaurantes pagando por uma latinha no mínimo uns R$ 10,00. Que ótimo se cada um deixasse de beber uma cerveja e comprasse o panetone do CEFAS. Isso é solidariedade e o espírito de Natal acontecerá no coração. Acesse www.cefassorocaba.com.br



 

Feliz Natal amigos leitores!

Vanderlei Testa jornalista e publicitário escreve aos sábados no www.facebook/artigosdovanderleitesta e no www.jornalipanema.com.br/opiniões



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O sargento Cido partiu como um guerreiro da paz

Na véspera do Dia dos Pais, a despedida do amigo João Aguiar

Vá em paz, Bottesi !