Sexta-feira com Pedro e Lindinalva


A caminho dos 60 anos de matrimônio: Pedro e Lindinalva

Há um livreto que recebi com sete histórias de casais que santificaram as suas vidas através do amor e compreensão em mais de 50 anos de casamento. As passagens da vida nunca iguais para cada pessoa. Se for uma vida em casal, mais difícil ainda compatibilizar gostos, desejos, anseios, personalidade, sentimentos. O que será que há em comum, em quem, como marido e mulher, diz um dia o sim do compromisso e deixa passar décadas de existência convivendo numa mesma trajetória? 

O Pedro Biffi e a Lindinalva parece-me que encontraram a resposta. Conversei com eles junto com o filho Henrique e a nora Patricia. Atualmente o casal mora em Ribeirão Preto. Na sexta-feira, 21 de fevereiro, em véspera de carnaval, decidiram pegar a estrada com chuva e rodaram os 400 km até Sorocaba para estar com a família. Esse é um ponto em comum para eles que convivem seus 60 anos de casados (a serem completados em 30 de julho de 2020) com os filhos e familiares. Paciência, perseverança e amor aos filhos e netos.  A paz que transmitem Pedro e Lindinalva deu logo para perceber nos cumprimentos. Eu estava na oficina de funilaria “Automabi” do Henrique e Patricia quando os pais chegaram de viagem. Paulo, com a preocupação de ter esquecido o celular no carro, foi busca-lo na rua onde estava estacionado. Já a mãe Lindinalva irradiava alegria apesar do cansaço das horas de rodovia com pista molhada. Perguntei os seus nomes e passamos a prosear, como amigos. E o papo rolou gostoso. Conversa de jornalista que gosta de histórias é como dar brilho na lataria de um carro. Brilha logo depois de ser polido, com carinho, amizade e verdade. Pedro é aposentado e nasceu em Santa Rosa do Viterbo. A esposa Lindinalva veio da Bahia para morar em São Paulo, ainda jovem. Foi lá na capital que deu de frente com o Pedro. Olho no olho e três meses de namoro. Paixão a primeira vista e o fogo do amor, com a aprovação dos pais, gerou um casamento em 1960, com direito ao beijo no altar e uma viagem de núpcias. E dessa feliz união que só eles entendem a graça divina que receberam nestas seis décadas de muita luta, trabalho e perseverança. Geraram filhos que fazem parte, não só do DNA, mas do coração que palpita a cada segundo. Digo isso, porque tão logo chegaram a Sorocaba, telefonaram aos filhos moradores de outras cidades para informar que fizeram boa viagem e estavam bem. Nenhum cartão de crédito compra essa felicidade dos pais e filhos em estarem juntos em pensamentos e espiritualmente.


E na conversa que continuou e, até tiramos fotos juntos, surgiram outros detalhes, como os 78 anos do Pedro sendo comemorados com muita energia neste ano. Realmente eles são fortes e animados, motivo a mais para manter a saúde em alta estima. Lindinalva  na pureza do seu afeto, se despediu com o olhar e o carinho típico do povo baiano em acolher e transmitir respeito ao ser humano, mesmo que seja na acolhida de uma única vez ou no primeiro encontro.  E Pedro, com o jeitão humano do meu pai, me fez emocionar de lembranças. Sai de lá, com maior admiração aos amigos Henrique e Patricia e aos seus pais, testemunhos de que aquela frase dita no dia do casamento é verdadeira nestes 60 anos de Pedro e Lindinalva: “Prometo ser fiel na alegria e na tristeza, na saúde e na doença ate que a morte nos separe”...

Vanderlei Testa jornalista e publicitário escreve no www.blogvanderleitesta.com e jornais Ipanema e Cruzeiro do Sul, alé da página no www.facebook.com/artigosdovanderleitesta


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O sargento Cido partiu como um guerreiro da paz

Na véspera do Dia dos Pais, a despedida do amigo João Aguiar

O amigo e professor Theodoro na paz eterna