Maio: mães, um anjo ao nosso lado



Há um livro que estou lendo “O toque de um anjo” da autora Martha Williamson que me inspirou a escrever este artigo. Diz a introdução da obra que neste mundo em que vivemos, somos colocados frente a desafios de provas a todo instante. Obrigações, tarefas, acontecimentos, como o novo coronavírus que mudou a rotina das pessoas. E a escritora alerta que nessa verdadeira enxurrada de preocupações, nos esquecemos de que há uma força divina ao nosso lado para nos proteger. Segundo a Martha, são os nossos anjos. Desde que nasci senti as mãos e o afago com os cuidados de uma anja na minha história: minha mãe. As leituras bíblicas e os ensinamentos cristãos nos fizeram conhecer pela teologia e catequese a verdade dos anjos em muitas passagens na vida de Jesus e na criação do mundo. O meu anjo da guarda chamo de Gabriel, protetor que foi enviado à Maria para anunciar a ela que seria a Mãe do filho de Deus pela ação do Espírito Santo. E o seu anjo da guarda, quem é? Sua mãe, seus pais, irmãos, amigos, amigas? E o anjo divino, quem é? O Pedro Siqueira, 48 anos, um advogado e professor de Direito, com conversão de vida cristã ao catolicismo, teve sua vida desde a infância acompanhada por seu anjo, relata em seus depoimentos. Ele tem dezenas de milhares de pessoas que o seguem no canal YouTube em suas orações diárias do Terço à Nossa Senhora e a propagação da existência do anjo da guarda na vida de todas as pessoas. 


Renata Milano e Isabela

Maio é celebrado o Dia das Mães. O primeiro Dia das Mães da Renata Milano com a sua recém- nascida Isabela que ilustra este artigo. Um amor incondicional gerado em nove meses de intensa beleza materna. Como sobrinha, sempre esteve em nossas orações pelo seu parto. E a vida brindou a Isabela com saúde e paz no seu nascimento. O Papa Francisco escreveu uma carta onde enfatiza a todos: “neste mês, é tradição rezar o Terço em casa, com a família; dimensão esta- a domestica-, que as restrições da pandemia nos “forçaram” a valorizar, inclusive do ponto de vista espiritual. Por isso, pensei propor-vos a todos que volteis a descobrir a beleza de rezar o Terço em casa”.
Relembrando mais uma vez minha infância, parece que estou vendo agora a imagem de minha mãe e suas amigas na sala de casa, com o terço na mão em orações, enquanto o meu pai trabalhava. As intenções eram para o trabalho, saúde, casamento, educação dos filhos e outras citações.
Pedro Siqueira e Natália Siqueira



 Voltando ao livro, chamou a atenção da leitura, quando a autora cita que há vilões na história representados pelo mal que nos confronta a não fazer o bem. Neste mês de maio que estamos iniciando, experimentar confiar na oração do Terço pode ser um desafio a muitas pessoas, mas certamente, do mesmo jeito que as nossas mães o faziam, podemos confiar que vale a pena experimentar. Dou meu testemunho para finalizar. Temos um grupo de amigos, casais das Equipes de Nossa Senhora que se reúne há mais de 40 anos. Todas as quartas-feiras há a oração do Terço. E neste tempo de Covid-19, continua sendo feito por vídeo conferência com todos juntos no computador ou celular em som e imagem. Ah, lembrando que as mães falecidas serão beneficiadas com as orações do Terço por suas almas. O melhor presente para elas que os filhos podem proporcionar neste Dia  das Mães. O nosso anjo da guarda levará nossa intercessão. E só para informar, todos os dias o arcebispo Dom Julio acompanhado pelo padre Manoel, fazem a oração do Terço às 7h30 da manhã, em sua casa, transmitindo ao vivo por sua página no Facebook.

Vanderlei Testa jornalista e publicitário escreve aos sábados no www.jornalipanema.com.br/opinoes e www.facebook.com/artigosdovanderleitesta e www.blogvanderleitesta.com

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O sargento Cido partiu como um guerreiro da paz

Na véspera do Dia dos Pais, a despedida do amigo João Aguiar

O amigo e professor Theodoro na paz eterna