Antonio Miguel, vida dedicada à medicina e a cidade de Conchas



Hoje vou com meu artigo até a cidade de Conchas. Meus compadres Antonio Carlos Bicudo Silva e sua esposa Loriz Aparecida Sartori Silva e o afilhado Daniel têm suas famílias nascidas em Conchas.  O amigo radialista José Desidério vive falando da sua terra natal Conchas. Um dia quando cursava o Curso Ferroviário na década de 60 tínhamos aulas de física e química e o professor Antonio Miguel contou que nasceu e morava em Conchas. Sem que tudo isso viesse à memória, nesta semana acabei por relembrar dele através de um e-mail que recebi do Antonio Miguel, médico em Conchas. Ele lembrou-se do meu nome lendo o Blog Vanderlei Testa.com em uma matéria do também professor Theodoro Mendes.
Curioso destacar, que nas aulas que eu tinha de química com o professor Antonio Miguel, fui motivado por ele a cursar o colegial técnico de química. Acabei depois do Curso Ferroviário ingressando na OSE e me formando Químico Industrial em 1968. Assim que trabalhei por quatro anos nessa função de Químico nos laboratórios da Estrada de Ferro Sorocabana até ingressar na universidade. Ele vai ficar sabendo disso após ler este artigo. Posteriormente segui minha carreira na área de comunicação, onde como profissional em jornalismo e publicidade o encontrei  na rede social esta semana, depois de passados 50 anos sem nenhum contato com o Antonio Miguel.  Interessante destacar também que a minha trajetória de mais de 40 anos em comunicação aconteceu por motivação do José Theodoro Mendes, que foi prefeito de Sorocaba e meu professor de português na mesma época no Curso Ferroviário. Duas coincidências de professores que considero providência divina na minha vida profissional.
 Hoje vou prestar uma homenagem ao mestre e médico Antonio Miguel. Ele é filho de José Miguel e Cheina Pedro Miguel. Nasceu em 19 de maio de 1941. Seu curso primário foi na Escola Cel. João Batista de Camargo Barros e o ginasial no colégio estadual de Conchas. Sorocaba ganhou o exemplar aluno quando ingressou no Estadão, o tradicional Instituto de Educação Estadual dr. Julio Prestes de Albuquerque.  Para morar em Sorocaba, após aprovado para cursar Medicina na PUC SP, Antonio teve que dar aulas para ganhar algum dinheiro que iria ajudá-lo nos estudos. Foi morar na pensão da dona Amélia, avó de um dos alunos do Curso Ferroviário, o Roberto “turquinho”.  Como era um estudioso e determinado a se especializar, Antonio Miguel cumpriu com mérito de 1968 a 1969, a Residência Médica de Gastroenterologia Cirúrgica no Hospital do Servidor Público Estadual de São Paulo.  Sua formatura em Sorocaba tinha sido em 1967. O doutor Antonio Miguel exerceu sua especialidade como médico interno em Ginecologia e Obstetrícia na Casa Maternal e Infância ”Leonor Mendes de Barros”. Foi qualificado na área de cirurgia e pediatria em 1991 pelo Cremesp e A.P.M.
 A carreira do dedicado médico à população de Conchas o conduziu a contribuir publicamente com a cidade e seus habitantes nestes 53 anos de atividades médica. Foi indicado e conquistou a missão de ser o prefeito da cidade de 1993 a 1996. Atuante em suas atividades politicas e profissionais teve sua missão destacada à comunidade como médico da Unidade Sanitária de Conchas.  Foi também médico do Sindicato Rural da cidade e exerceu por 39 anos no Hospital Municipal de Conchas a responsabilidade no atendimento a milhares de pacientes. Destaco também que o médico Antonio Miguel tem na sua trajetória a nobre carreira de chefe do Pronto Socorro do Hospital NS do Belém em São Paulo.  Com sua vitalidade continua atendendo em seu consultório no centro da cidade de Conchas, com seus mais de 20 mil habitantes e, distante de Sorocaba 120 km, nas proximidades de Tietê e Pereiras.


Vanderlei Testa jornalista e publicitário escreve aos sábados no www.facebook.com/artigosdovanderleitesta e www.jornalipanema.com.br/opinioes e www.blogvanderleitesta.com


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O sargento Cido partiu como um guerreiro da paz

Na véspera do Dia dos Pais, a despedida do amigo João Aguiar

Vá em paz, Bottesi !