O primeiro bebê de 2021

 

Ontem, dia 1º de janeiro, a imprensa noticiou o nome do bebê que nasceu na virada do ano nas principais cidades do Brasil. Esse fato é repetido todos os anos. Os pais e a criança, menino ou menina acaba ganhando destaque na história da humanidade como celebridade por um dia.  Com o passar do tempo, a criança cresce e ninguém mais se lembra da notícia. Neste dia 2 de janeiro de 2021 em primeiro sábado de começo de ano novo, pensei e refleti sobre uma passagem bíblica que li sobre Jesus bebê que nasceu segundo a tradição cristã no dia 25 de dezembro. Já se passaram 2020 anos e ele continua lembrado diariamente. O que aconteceu com Jesus,  todas as pessoas que acreditam e tem fé sabem discernir  esse fato.  No dia 30 de dezembro, li e ouvi no evangelho de Lucas; “o menino crescia e tornava-se forte, cheio de sabedoria; e a graça de Deus estava com ele”. 

Nossos leitores desde artigo semanal no Jornal Ipanema podem indagar sobre essa afirmação, considerando- a comum e normal para qualquer ser humano. Afinal, todos os bebês crescem em estatura e força conforme os anos passam. Basta olhar para si e os filhos.  Passam os filhos a frequentar escolinhas de natação, academias, clubes de lutas marciais, escolinhas de futebol e tantas outras atividades esportivas.  Ficam fortes fisicamente. Quanto a sabedoria, frequentam as creches, sistemas modernos de ensino para bebês e menores de cinco anos com conhecimento até de informática.  Sei disso porque aconteceu com a minha neta. Acontece que no caso de Jesus, ele foi diferente porque não frequentou nada dessas escolas. Os seus ensinamentos recebia conforme crescia em estatura  pela graça de Deus Pai, ao filho amado. O menino Jesus tinha a força, era forte na fé e na sabedoria divina. Fez toda a diferença na sua vida até os 33 anos. Nessa idade ele já tinha ensinado a humanidade o significado do amor verdadeiro. Sem apegos materiais ou defeitos que todos os seres humanos carregam dentro de si, entre eles, a inveja, egoísmo, maldade, mentira, idolatria.

Ao iniciarmos 2021, depois de um réveillon em isolamento social pela pandemia do COVID-19, sem aglomerações de família e amigos, noites na praia com champanhe e queima de fogos, pulos sobre as ondas, os habitantes do planeta Terra foram submissos a um invisível vírus. Os fortes das academias e das contas bancárias tiveram que seguir essa determinação dos órgãos de saúde mundial. Aprendemos que a única força que nunca envelhece e nem deixa rugas na pele é a divina, porque nos tornamos fortes e  cheios de graça e sabedoria que só Deus pode proporcionar.

Infelizmente na Argentina o governo legalizou o aborto até a 14º semana de gestação. A notícia mais que triste no final de 2020, comemorada em euforia por mulheres nas ruas, nos deixou perplexos ao saber que vidas humanas serão dizimadas e sem direito a vida como um dom. Os políticos que votaram a favor deviam ter-se lembrado de que somente estão vivos e chegaram a fase adulta porque os seus pais não o abortaram.

Que 2021 seja para você, amigo leitor, um ano novo de paz, saúde e fortaleza na fé!

 

Vanderlei Testa jornalista e publicitário escreve aos sábados no www.jornalipanema.com.br /opinoes e www.facebook.com/artigosdovanderleitesta e www.blogvanderleitesta.com

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Renata e Seide, duas perdas irreparáveis

Vá em paz, Bottesi !

O vídeo dos 90 anos da Clarinha e 95 anos da Amélia Testa Ribeiro