A flor da índia Anahi de Cascatinha e Inhana inspirou o pai da Anai

 

A flor da índia Anahi de Cascatinha e Inhana inspirou o pai da Anai


A letra e o canto de uma das duplas mais conhecidas do Brasil sempre foi um poema na história do casal que já completou 45 anos de casados. Luzia e Antônio Ferreira.  Eles tinham três filhos e a menina que iria chegar para formar o quarteto já tinha o seu nome inspirado no coração do pai. Admirador de Cascatinha e Inhana e da letra Anahi, composição de José Fartura e O. J. Soda Cordero, o seu Antônio foi ao Cartório de Registro Civil de São José do Rio Preto onde morava e, todo feliz realizou o seu desejo. Tirou o h do Anahi e registrou a Anai F. A. Ferreira.

Essa história real surgiu de uma ida a uma rede de farmácias na av. São Francisco, no Bairro de Santa Rosália. Quando li no crachá da farmacêutica o seu nome Anai, como jornalista senti que teria um artigo curioso por trás dessas quatro sílabas. Nunca tinha encontrado uma pessoa com o nome Anai. Arrisquei perguntar enquanto aguardava o meu cadastro ser feito para a medicação solicitada. Perguntei: De onde surgiu o seu nome inédito e expressivo? Bem, o restante da conversa eu contarei neste artigo.

Cheguei em casa e fui ouvir a música e ler a letra de Anahi de Cascatinha e Inhana. Realmente é uma pérola da música paraguaia e interpretada no cancioneiro brasileiro. Vou colocar aqui a beleza da canção da jovem indígena transformada a uma flor enquanto queimava no fogo da sua tribo. Na letra, “Índia, flor agreste” faz com que ecoe ainda hoje na vida de Luzia e Antônio as emoções que deixarão para sempre na vida da filha Anai. Vou escrever um artigo para o Jornal Ipanema sobre o seu nome, tudo bem? Perguntei. “Meu pai vai ficar orgulhoso”, respondeu.

Formada na Faculdade de Farmácia de São José do Rio Preto a Anai escolheu Sorocaba para trabalhar. Na movimentação intensa do seu serviço, a atenção e responsabilidade para com os clientes são facilmente percebidas. Profissional com uma longa carreira pela frente, a jovem Anai, da mesma energia guerreira da índia Anahi, é vencedora como a flor da canção. O significado do nome Anahi é aquela que tem a voz doce. Hoje a Anai é casada e tem o seu nome acrescentado com Estofalete, do marido. Anai F. de A. Ferreira Estofalete.

Anahí/ As arpas sentidas soluçam arpejos/ Que são para ti;

Anahí/ Teus acordes lembram a imensa bravura/ Da raça tupi;

Anahí/ Índia flor agreste da voz tão suave/  Como aguaí;

Anahí, Anahí/ Teu vulto no campo difere entre as flores

Pela cor rubi/. Defendendo altiva/ Tua valente tribo, foste prisioneira

Condenada à morte,/ Já estava teu corpo envolto à fogueira;/

E enquanto as chamas a estavam queimando/ Numa flor tão linda se foi transformando./ Os teus inimigos fugiram dali! / As aves ficaram cantando o milagre/ Da flor de Anahí./ Anahí, Anahí, Anahí...

 

A dupla sertaneja Cascatinha, Francisco dos Santos, nascido em Araraquara em 1919 e Inhana, Eufrosina da Silva, nascida em Araras, em 1923, além de cantores, eram casados. As músicas que eles interpretaram há mais de sete décadas continuam fazendo sucesso até hoje em programas de rádio sertanejo.. Entre elas, a Índia, de 1952 e Meu Primeiro Amor. Colcha de Retalhos estourou nas paradas sertanejas em 1959. Em 1968, a música Anahi se tornou campeã de audiência, principalmente nos programas da cantora Inesita Barroso. E na vida do casal Luzia e Antônio Ferreira que registrou a sua filha como Anai.

 

 

 

Vanderlei Testa jornalista e publicitário escreve aos sábados no Jornal Ipanema e no www.blogvanderleitesta.com

E-mail de contato: artigovanderleitesta@gmail.com

 

 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Renata e Seide, duas perdas irreparáveis

Vá em paz, Bottesi !

Médico Fernando de Barros Oliveira, 50 anos de missão