Santo Sudário em Itapetininga


 

A terceira réplica no mundo do Santo Sudário está em Itapetininga para visitação pública

 

Há na Igreja católica a Pastoral do Turismo Religioso. Esse serviço de evangelização conduzido por leigos, homens e mulheres, tem como objetivo divulgar os locais do Brasil onde existe alguma “atração” de peregrinos. Exemplos como o Santuário Nacional de Aparecida, festa do padre Cícero, comunidade Canção Nova, em Cachoeira Paulista, cidade do Vale do Paraíba e a Associação Nossa Senhora Rainha da Paz, em Itapetininga, a 72 km de Sorocaba, recebem fiéis em devoção aos seus padroeiros ou ao fato especial que gera na fé o turismo religioso, como no caso do Santo Sudário.

O caso de Itapetininga chama a atenção por ser o Brasil o país portador de uma réplica do Santo Sudário, cuja peça original em tecido está em Turim, na Itália. Ele pertence ao Vaticano desde 1578. A história do Sudário é muito conhecida, desde quando Jesus foi envolto em um tecido após a sua crucificação. Em sua ressurreição, o tecido de linho foi encontrado junto ao local do seu sepultamento, relata a tradição da igreja.

A réplica do Sudário colocado em um quadro de 4,36 metros de comprimento por 1,10 metros de largura sob o altar da Capela do Santuário de NS Rainha da Paz, em Itapetininga, para visitação pública impressiona pela qualidade dos detalhes com a peça original. Foi há décadas que o saudoso padre italiano José Sometti recebeu de presente de uma família italiana essa histórica relíquia vinda de Turim. Segundo o historiador José Luiz Nogueira, um dedicado cidadão de Itapetininga que é editor de vários livros de cidades da região de Sorocaba, a história do Santo Sudário existente na Capela da Associação NS Rainha da Paz, pode também ser assistida no seu “Canal Nogueira”, do YouTube. Essa réplica somente existe três unidades no mundo. Uma em Jerusalém, outra em Roma e a terceira em Itapetininga. O padre José Álem quando morava em Vargem Grande Paulista frequentava a associação presidida pelo padre Sometti. Com a morte do padre Sometti, o padre José Álem assumiu a comunidade, onde continua a exercer o seu ministério sacerdotal e missão de orientar espiritualmente o maravilhoso trabalho junto as pessoas assistidas pela entidade. Explicando sobre o chamado Santo Sudário no Brasil e Síndone na Itália, padre José disse que na época judaica ao sepultarem uma pessoa não existia como costume atual o uso de caixão. A tradição judaica era envolver a pessoa em um tecido de linho branco.

Hermélio Moraes, membro e historiador do IHGII desde 2005, assumiu o compromisso com o padre José Sometti, a divulgar a existência do Santo Sudário em Itapetininga. A importância dessa réplica merece a visita das pessoas que pedem agendar grupos das paróquias e individualmente através da secretaria da associação NS Rainha Paz. A localização é na avenida Dr. Ciro Albuquerque, 5014, Jardim Marabá, telefone 15-3273 4188.

A Associação Nossa Senhora Rainha da Paz (Anspaz), realiza no dia 4 de setembro a sua 34º Festa da Anspaz, com procissão, missa e um saboroso almoço ao sabor da Itália. O evento acontece na sua sede fazenda em Itapetininga.

 

Arte: VT

 

Vanderlei Testa artigovanderleitesta@gmail.com ( Jornalista e Publicitário)

 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Lucas Lolata vence desafio

Gilson Delgado atuou com foco no ser humano