Temos muito que aprender para viver como ser humano

 


Caso de Salto de Pirapora alerta: trabalho análogo à escravidão atinge 40 milhões de pessoas

 

O mês de agosto chega ao seu final, depois de várias comemorações da população de Sorocaba. O aniversário da cidade reuniu milhares de pessoas unidas em família na programação oficial da cidade. Foram momentos de alegria e partilha de pais e filhos em ambiente saudável. Enquanto isso, no vizinho município de Salto de Pirapora, em meio a uma fazenda de eucaliptos, nove trabalhadores eram desrespeitados na sua integridade humana e física, vivendo em condições análogas à escravidão. Essa constatação feita pelos órgãos do Ministério do Trabalho e Polícia Federal na última terça-feira, 23 de agosto, e divulgada na imprensa nacional, nos levou a escrever este artigo. Nesse dia por coincidência, celebra-se o Dia Internacional em Memória do Tráfico de Escravos e sua Abolição, instituído pela Organização das Nações Unidas.

 

As imagens divulgadas pelos responsáveis pela libertação dos trabalhadores doem profundamente em nossas vidas. Como é triste saber que seres humanos são manipulados friamente por empresários gananciosos e sem nenhum respeito para com aqueles que sofrem na pobreza e despreparo dos seus direitos como cidadãos. Sei que causa revolta aos leitores, como muitos se manifestaram comigo após ler no site do jornal Ipanema e ver as imagens dessa trágica notícia. “Vanderlei, você precisa escrever sobre esse fato de escravidão dos trabalhadores em Salto de Pirapora”, diziam às mensagens que recebi. A ausência dos nomes dos empresários envolvidos e a localização da fazenda também foram cobradas pelos leitores. Quais as providências das autoridades da cidade e da fiscalização faz parte das questões.

 

A diretora-geral da Unesco, Audrey Azoulay, destacou que a data instituída  pela ONU lembra a memória de homens e mulheres que se revoltaram em Santo Domingo abrindo caminho para o fim da escravidão e da desumanização, em 1791. Isso aconteceu no dia 23 de agosto dando início a movimentação e erradicação da escravatura pelo mundo e do tráfico transatlântico de seres humanos. Segundo pesquisas e constatação feita, como no caso de Salto de Pirapora, mais de 40 milhões de pessoas seguem sendo vítimas desse crime, que atinge 71% de meninas e mulheres.

Em pleno século 21, vivemos em 2022 com constatação como essa na região de Sorocaba. É um alerta para denunciarmos mais situações como a encontrada com esses nove trabalhadores.

“Estai, pois firmes na liberdade com que Cristo nos libertou e não tornei a meter-vos debaixo do jugo da servidão”.  Gálatas 5,1

 

 

Imagens da fazenda em Salto  de Pirapora

Vanderlei Testa (artigovanderleitesta@gmail.com) Jornalista e Publicitário

 

 

 

 

 

 

 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Lucas Lolata vence desafio

Gilson Delgado atuou com foco no ser humano