Rei Charles III

 


A morte da Rainha Elizabeth II emociona o mundo. Charles III é o novo Rei.

 

O jornal Ipanema e a Jovem Pan com a imprensa mundial destacaram no horário de Brasília, ao início da tarde às 14h30 no dia 8 de setembro, a notícia do falecimento da Rainha Elizabeth II. Emissoras de rádio, jornais e televisão usaram também as suas redes sociais e portais para contar em imagens e textos emocionantes quem foi àquela mocinha que sucedeu o seu pai no reinado do Reino Unido. Eu tive a oportunidade de estar na Inglaterra em 2019 e presenciar o carinho que o povo manifestava à sua Rainha. Inúmeros documentários que já assisti sobre a família Real pesquisaram os passos das filhas do Rei Jorge VI. Nas pesquisas realizadas para este artigo, amplamente relatadas sobre a vida da Rainha, destaco alguns pontos curiosos da sua história de vida. A Elizabeth Alexandra Mary nasceu no dia 21 de abril de 1926, na área de Mayfair, em Londres, sendo a primeira filha do duque e da duquesa de Iorque, mais tarde rei Jorge VI e Rainha Isabel. O seu pai Jorge subiu ao trono em 1936, após a abdicação do irmão, Eduardo VIII, tornando a princesa Isabel a possível herdeira do trono britânico.

 

A Rainha Elizabeth II é a monarca com o reinado de maior duração na história da monarquia britânica. Ela assumiu o trono em 1952. A cerimônia de coroação só foi realizada em 1953. Elizabeth não era cotada a ser Rainha, ou era improvável, uma vez que seu pai não era o primeiro na linha de sucessão. 

Na sua adolescência, Elizabeth serviu o exército nacional britânico como mecânica em um grupamento de mulheres. Ao completar 21 anos de idade, Elizabeth casou-se com Philip, príncipe da Grécia e Dinamarca. O casal teve quatro filhos. O seu reinado é considerado o mais longo da história da monarquia britânica. Seu filho mais velho, príncipe Charles, é o sucessor do trono real e será empossado como Rei Charles III.

O pai de Elizabeth era Albert Frederick Arthur George, mais conhecido como duque de York, e sua mãe era Lady Elizabeth Bowes-Lyon, conhecida como duquesa de York. No momento do nascimento de Elizabeth, o rei do Reino Unido era Jorge V.

O pai de Elizabeth era o segundo filho de Jorge V, sendo que Edward Albert, seu tio, era o filho mais velho do rei. Portanto, no momento em que ela nasceu Elizabeth tornou-se a terceira na linha de sucessão do trono britânico. Diziam os historiadores que as chances dela de tornar-se rainha não eram muito animadoras, por isso, seu nascimento foi pouco repercutido na mídia mundial.

Essa conclusão, segundo se comentava na imprensa,  era porque se Edward tivesse filhos, eles teriam a preferência ao trono, e ainda, caso ele não os tivesse e o pai de Elizabeth, George, por sua vez, tivesse algum filho do sexo masculino, ele também teria a preferência antes dela. No Reino Unido, existia uma preferência pelo primogênito homem em relação às herdeiras mulheres.

Sendo assim, Elizabeth cresceu sabendo que ocupar o trono era possível, mas não muito provável. Recebeu uma educação consistente, sendo tutorada por Marion Crawford, que também cuidou da educação de sua irmã, Margaret, já falecida.

Durante dez dias, a partir do dia 8 de setembro, será noticiado com destaque o seu falecimento, cujo sepultamento correrá com  homenagens oficiais. O seu jeito de avó, diziam os ingleses e, que os brasileiros estão acostumados a relembrar dos seus antepassados vovós imigrantes, dava à Rainha Elizabeth II o afeto da humanidade.

Edições especiais de documentários da vida de Elizabeth II estão em canais como o “Smithsonian” durante todos os próximos dias. A Rainha Elizabeth é a mulher mais fotografada do mundo.

“Quando a paz chegar, lembre-se que será para nós, as crianças de hoje, (a tarefa de) tornar o mundo de amanhã um lugar mais feliz e melhor” Rainha Elizabeth II

 

 

 

 

Vanderlei Testa (artigovanderleitesta@gmail.com) Jornalista e Publicitário

 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Lucas Lolata vence desafio

Gilson Delgado atuou com foco no ser humano