Duplo J é o procedimento que vem ajudando os pacientes com ‘cálculos renais’ em Sorocaba

Duplo J é o procedimento que vem ajudando os pacientes com ‘cálculos renais’ em Sorocaba.

 

Só quem já teve uma cólica renal entende a dor que causa um minúsculo cálculo (pedra) nos seus rins. O fotógrafo brasileiro André de Grossi, radicado em Paris, na França, relatou em seu canal de YouTube esta semana o sofrimento da dor que o levou a um hospital. Aqui em Sorocaba, como em qualquer parte do mundo, esse incômodo que atinge homens e mulheres, popularmente é chamado de “pedra nos rins” e tem chamado à atenção dos especialistas em urologia. 

O avanço da medicina através do uso de tecnologias criativas neste Século 21 tem proporcionado à população novas oportunidades de tratamentos com resultados positivos para a solução de retirada de cálculos renais. Um desses inovadores meios é a ureteolitopripsia endoscópica para procedimentos de cálculos renais. Em Sorocaba, a Santa Casa de Misericórdia foi uma das pioneiras ao iniciar o procedimento cirúrgico inédito no SUS para atender pacientes renais. Com o apoio da Prefeitura Municipal esse procedimento conhecido popularmente como Lico Laser atende desde 2021 centenas de pacientes, contou o médico Auro Cesar de Araújo.

O procedimento que vem sendo utilizado na área de urologia com sucesso em Sorocaba é o do cateter Duplo J. O cateter duplo J é um fino tubo flexível de poliuretano, com um calibre aproximado de 3 mm e um comprimento que varia de 8 a 35 cm, muito utilizado pelos médicos urologistas para garantir o fluxo de urina entre o rim e a bexiga. 

Cateter duplo J é o cateter utilizado para livre drenagem de urina do rim até a bexiga, em condições adversas. Uma extremidade ancora-se na pelve renal e a outra extremidade curva-se no interior da bexiga. Em inglês, double-J, "J-J stent" ou "pig-tail".

Conversei com o médico urologista doutor Auro César de Araújo, da Santa Casa de Sorocaba, e pude constatar o alto grau de especialização desse profissional que coordena o departamento de urologia do hospital presidido pelo padre Flavio Jorge Miguel Júnior. 

Conversei também com uma das pacientes atendidas esta semana no hospital da Intermédica-pelo doutor Auro Cesar, tendo recebida à dupla J. Segundo a senhora me contou, esse procedimento resolveu um antigo problema de cálculo renal e que a incomoda constantemente. Desta vez, com o doutor Auro Cesar conduzindo o procedimento, o sucesso foi constatado com a retirada do cálculo com 7,1 mm.

A grande maioria dos cateteres de duplo J é feita de um polímero à base de plástico e poliuretano cirúrgico.

Começando 2023 com a saúde em dia e, sem as dores físicas da vida humana é sinal de um bom Ano Novo. É o que desejamos aos nossos leitores! 

 

 


Vanderlei Testa (artigovanderleitesta@gmail.com
Jornalista e Publicitário 
Escreve aos sábados no Jornal Ipanema e às terças no Jornal Cruzeiro do Sul


 

Comentários

As mais lidas

Lançamento na Fundec das edições dos livros Sumiko, de Áurea Piacitelli, terá música com instrumentos japoneses e piano

Podemos ser a asa amiga aos indígenas Yanomami com um voo até o site “SOS Yanomami”

Apelo do Papa Francisco pede fraternidade no conteúdo ao ensino: A Fraternidade aos jovens